Ainda este mês, lançamento do livro de poesia de Teresa Poças: «A Fronteira do Perpétuo»

 

Existe uma fronteira entre a forma como nos vemos a nós próprios e a forma como os outros nos veem; entre a forma como vemos a sociedade e aquilo que ela efetivamente é; entre a forma como tratamos os outros e a forma como nos tratam. Existe uma larga fronteira entre os “eles” e os que realmente fazem parte de “nós”, entre o gostar e o amar, entre o dizer e o fazer, entre o ajudar e o estar.

São estas fronteiras as responsáveis por delimitar as nossas relações com aqueles que nos rodeiam, a nossa postura perante a vida e a nossa forma de a sentir. Por vezes, separam-nos dos outros ou até mesmo de nós próprios e estancam-nos num só lugar que parece ser o fim, mas são elas que criam chama e motivação para procurar algo novo.

(…) 

Neste livro, tento passar uma mensagem de esperança e de positivismo perante todos os muros que estão presentes na nossa vida – por uma vida perpetuamente em novas fronteiras.

 

Teresa Poças in «A Fronteira do Perpétuo»