Joana Neto

Relógios sem Ponteiros

Relógios sem Ponteiros

15,00€
Author:
Genre: Contos

«(…) com este Relógios sem Ponteiros – um título a lembrar um filme do Bergman – e a maravilhar-me, desta vez, com a sua prosa.
Há aqui textos que me apetece dizer em voz alta, pôr em cena, partilhar.
Uns, mais ansiosos, caminham ao ritmo de uma toada de afazeres. Outros, mais cautelosos, parecem mergulhar no nosso íntimo. O Congresso e Botão Armado abrem o livro. A leitura passa a ser uma emergência. Até à última palavra.
Gosto de livros, mas não sei escrever sobre eles. Mas gosto de os discutir, particularmente os que nos questionam e nos convocam para diferentes leituras. E gosto daqueles que me proporcionam imaginar como resultariam em teatro. Ou em cinema. E gosto de contos. E de textos curtos. E este novo livro Relógios sem Ponteiros é um pouco de tudo isto, escrito com sensibilidade, generosidade e inteligência.
Relógios sem Ponteiros volta a ser, também, um livro de amor, “para escrevermos amor em beijos secretos bordados na penumbra”.
Há encontros, desencontros e esperas, “um chá ocasional adormecido em biscoitos”. E memórias, muitas memórias. Há tanta sinceridade nestes textos.
Vou ler novamente. Ao som de um vinil. Dos Beatles, talvez.»

In prefácio Relógios sem Ponteiros
Mário Moutinho (Ator)

More info →
NA BOCA DE CENA DA (DES)REGULAÇÃO

NA BOCA DE CENA DA (DES)REGULAÇÃO

18€
Author:
Series: Nexus, Book 43
Genre: Outros

Esta obra, elaborada a partir da tese de mestrado em Direito do Trabalho e das Empresas, apresentada e defendida no ISCTE-IUL, debruça-se sobre a problemática da proteção laboral dos profissionais de espetáculo. A Lei 4/2008, de 07 de fevereiro, sujeita a posteriores alterações, veio definir o regime jurídico do contrato de trabalho dos profissionais de espetáculo e responder à reivindicação de um contrato de trabalho especial que pudesse ir ao encontro da especificidade da atividade artística e técnico-artística. (...) É esse trilho, sinuoso e labiríntico, que é percorrido nesta obra, que recorre também ao direito comparado, nomeadamente ao regime jurídico francês e espanhol, para apontar alguns caminhos. Sem se avançarem com certezas absolutas chegam-se, neste verdadeiro trapézio jurídico, a algumas conclusões que se tenta que cumpram, ainda que parcialmente, o objetivo proposto.

More info →